Cannes Lions repensa o papel da publicidade em 2019 – 27/06/2019 – Mercado
junho 27, 2019
Facebook luta pela transparência com os novos Termos de Serviço
junho 29, 2019

APCT: Jornal Económico cresce num segmento em quebra – Meios & Publicidade

O Jornal Económico surge como a única excepção entre os títulos do segmento de informação económica, que também não escapam às quebras na circulação impressa paga. A mais recente publicação do segmento apresenta números menos expressivos em comparação com a concorrência mas viu a sua circulação impressa paga quase duplicar comparando os períodos de Janeiro a Abril de 2018 e 2019, ao passar de uma média de 1.170 exemplares vendidos por edição para os 2.296 exemplares, um crescimento de 96,2%. Já o Jornal de Negócios regista uma circulação impressa paga de 4.103 exemplares, números que traduzem uma quebra de 10,2% face aos 4.570 exemplares vendidos por edição pelo título da Cofina no período homólogo em 2018. A Exame, que passou das mãos da Impresa para a Trust in News no arranque de 2018, regista uma quebra de 31,8%, dos 10.369 exemplares nos primeiros quatro meses do último ano para os 7.073 exemplares vendidos por edição neste arranque do ano, mantendo ainda assim o estatuto de título económico mais vendido.

Em banca, a Exame vendeu, de Janeiro e Abril uma média de 1.651 exemplares por edição (-15%), o Jornal de Negócios 1.196 (-10%) e o Jornal Económico 578 (+2%). Mais do que a ligeira subida em banca, o crescimento do Jornal Económico vem das assinaturas (+37%) e, sobretudo, das vendas em bloco (+297% passando de 343 exemplares para 1.363). No digital, o líder é o Jornal de Negócios, que cresceu 20,2% para uma circulação digital paga de 5.578. Em segundo lugar surge agora o Jornal Económico com 4.317 (+125,9%). A Exame caiu dos 1.464 para os 591 (-59,6%).

Fonte: http://www.meiosepublicidade.pt/2019/06/apct-jornal-economico-cresce-num-segmento-quebra/

O post APCT: Jornal Económico cresce num segmento em quebra – Meios & Publicidade apareceu primeiro em Lima & Santana Propaganda.

Os comentários estão encerrados.