Miranda Nails: tudo para unhas bem feitas – Especial/Publicidade
dezembro 22, 2018
Papai Noel – Uma Biografia, de Gerry Bowler – Plano Crítico
dezembro 24, 2018

Anunciante na Abril conhecerá leitor que clica na propaganda, diz novo dono

Anunciante na Abril conhecerá leitor que clica na propaganda, diz novo dono

Agência de Propaganda em Santos

Propaganda em Santos – O Grupo Abril, que edita a revista Veja, publicou longo texto com perguntas e respostas de seu novo controlador, Fábio Carvalho, no qual são detalhadas as estratégias para recuperar a saúde financeira do empreendimento.

Papa Saneamento – Carvalho tem uma sociedade de investimentos, a Legion Holdings, especializada em recuperar empresas em dificuldades financeiras para posterior revenda –como a rede varejista fluminense Casa & Vídeo, adquirida há 10 anos e da qual ainda é sócio minoritário.

Magia para empresa voltar lucrar – Na última 5ª feira, 20 de dezembro de 2018, Carvalho anunciou acordo com a família Civita, de quem comprou 100% do Grupo Abril –que tem revistas como Veja, Exame, Cláudia e Quatro Rodas. Deve participar do processo de reestruturação o banco BTG Pactual, que tem interesse em acelerar sua presença no mercado financeiro digital e enxerga interação com os negócios da editora.

Montagem de estandes – O Grupo Abril está em recuperação judicial. Opera no vermelho. Tem uma dívida de R$ 1,6 bilhão.

Montagem de stands – Em 2017, a editora teve 1 prejuízo de R$ 331,6 milhões. No ano anterior, o rombo havia sido de R$ 137,8 milhões.

Armazém para locação em Santos – Sob novo comando, uma das principais medidas do Grupo Abril será investir em tecnologia e aproveitar o leitorado já existente das suas revistas para fornecer 1 serviço de publicidade com mais valor agregado para o anunciante.

Projeto de Estandes – Em vez de apenas publicar comerciais de carros, comida ou serviços financeiros, a ideia é passar a oferecer para a empresa que compra o espaço publicitário a possibilidade de conhecer de maneira detalhada cada uma das pessoas que clica para ler o conteúdo publicado.

Criação de Site em Santos – O mercado publicitário confere valor sobretudo ao que é conhecido como “taxa de conversão“: quando 1 leitor não apenas clica numa publicidade digital, mas acaba pelo menos preenchendo seus dados no site do anunciante.

Lima & Santana Propaganda – Agência de Propaganda em Santos – Pelo que se depreende do texto publicado com as perguntas e respostas de Fábio Carvalho, haverá cruzamentos de dados e identificação dos leitores que clicam na publicidade e acabam “convertidos” pelas empresas anunciantes. O objetivo é identificar a preferência desses consumidores em potencial e voltar a essas pessoas com outros produtos que poderão ser vendidos.

Criação de Aplicativos em Santos – Isso já acontece em gigantes de tecnologia internacionais, como Google e Amazon. O leitor faz uma busca sobre uma viagem para Paris e logo em seguida começa a receber ofertas de hotéis na mesma cidade. O mesmo se passa quando 1 consumidor compra 1 livro de culinária na Amazon e depois passa a ser exposto a anúncios de restaurantes.

Feitiço para empresa crescer – No Brasil, poucas empresas fazem esse tipo de abordagem com a destreza e intensidade que se vê no setor de tecnologia mundial. Na mídia brasileira, essa prática é ainda muito rudimentar.

Feitiço para empresa ganhar dinheiro – Não está claro, entretanto, como isso será viável com a entrada em vigor no Brasil da Lei Geral de Proteção de Dados, que tem exigências rígidas sobre coleta de dados pessoais, privacidade e compartilhamento dessas informações. A LGPD, como é conhecida, foi sancionada em 14 de agosto de 2018 e terá ampla validade a partir de janeiro de 2020.

Contato – A venda do Grupo Abril precisa ser submetida à aprovação do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), possivelmente em fevereiro ou março de 2019. Os credores da empresa (sobretudo bancos) terão também de dar o aval. A expectativa é que a dívida total de R$ 1,9 bilhão acabe recebendo 1 deságio superior a 90%.

Marketing de Busca – Fábio Carvalho diz pretender aportar R$ 70 milhões na Abril, empresa fundada em 1950 em São Paulo pelo empresário descendente de judeus italianos, nascido nos Estados Unidos e naturalizado brasileiro, Victor Civita (1907-1990).

‘PUBLICIDADE TEM DE GERAL RETORNO’

Procura-se ADM/Tráfego – No texto com perguntas e respostas publicado no site da revista Exame em 22 de dezembro de 2018, Fábio Carvalho explica como entende que deve ser a publicidade a ser oferecida pelas publicações a Abril. Eis os trechos que tratam do tema:

Montagem de standsA publicidade também tem de mudar?
Fábio Carvalho –
“A publicidade que hoje é capaz de gerar retorno transcende a tradicional. Esta vem perdendo espaço. A publicidade eletrônica que cresce é a capaz de verificação de performance, pelo número de cliques, pelo comportamento do leitor, a publicidade por preferências de quem está lendo, baseada numa análise de comportamento, a publicidade integrada de veículos e diferentes plataformas. O uso de plataformas dando sinais para o negócio da comunicação jornalística e para os eventos, tudo isso tem um papel. Mas também tem um papel a cobrança tradicional pelo trabalho fundamental do jornalismo que é via assinatura. A gente vai trabalhar para encontrar esta equação: até onde o conteúdo é liberado, até onde o conteúdo depende de uma assinatura. Até onde o conteúdo pode ser vendido isoladamente, independentemente da venda de assinatura. São formatos que têm de ser estudados. Muita coisa já foi testada. Vamos de trabalhar dentro do que existe para conseguir inovar e criar e encontrar uma nova forma”.

Montagem de standsA Abril já tem as bases para essas mudanças?
Fábio Carvalho – “Não tenho dúvida de que o que é fundamental está presente na Abril. Primeiro, é a capacidade de fazer jornalismo de qualidade. A empresa tem mais de meio século de tradição. A qualidade editorial do grupo é inquestionável. Há uma força analítica, investigativa, e uma capacidade de comunicação que já foi criada e está lapidada. E, por outro lado, existe, ao contrário do que alguns podem dizer, uma grande demanda por informação de qualidade. Não passa despercebida por ninguém a fragmentação da informação. Todo mundo que é leitor de notícia percebe que a fragmentação das fontes e a fragmentação da distribuição têm gerado uma queda da qualidade média da informação que se consome muito em função da perda de credibilidade das diversas fontes e das informações conflitantes. Então essa demanda por mais clareza e confiança é latente. Somando um elemento de demanda com um elemento de consistência que hoje existe na Abril, resta uma questão de formatos. E um pouco de dinheiro para financiar os esforços. Essa é uma visão que me motiva”.

Montagem de estandes – Continuar lendo

Fonte:

O post Anunciante na Abril conhecerá leitor que clica na propaganda, diz novo dono apareceu primeiro em Lima & Santana Propaganda.

Os comentários estão encerrados.